O tão esperado anúncio da Nasa foi revelado nesta segunda: após análise de dados da sonda Mars Reconnaissance Orbiter ( MRO), eles encontraram sinais de água corrente e salobra em Marte. A sonda localizou leitos de 100 metros de comprimento e 5 de largura. A sonda detectou assinaturas de sais minerais em rochas, além de visualizar estrias, que são marcas de fluxo de água, no planeta vermelho.

“Nossa missão em Marte tem sido a de ‘seguir a água’, em nossa busca por vida no universo, e agora temos a ciência de forma convincente que valida o que temos suspeitado por muito tempo”, disse John Grunsfeld, astronauta associado da Nasa. “Este é um desenvolvimento significativo, como ele aparece para confirmar que a água – embora salgado – está fluindo hoje sobre a superfície de Marte”.

A hipótese é de que água corre ali atualmente e forma estrias, marcas no planeta. Imagens do MRO mostram que essas estrias aparecem nas encostas durante as estações quentes e desaparecem nas frias.

Um método de observação foi criado para decifrar os pixels das imagens enviadas e comprovar a presença de sais minerais hidratados que precipitam água. Ou seja: estamos todos perplexos, por mais que, no fundo, já esperássemos por essa notícia.

A conclusão é de que, sim, as estrias no planeta e os sais depositados podem ser resultado do fluxo de água salgada em Marte.

O MRO está analisando Marte desde 2006, com cerca de seis instrumentos para observação e coleta de análises.

Artigo sobre oceano

Em março desse ano, a revista Science publicou um artigo que mostrava que, em algum momento, havia existido um oceano em Marte. Não é de hoje que o planeta desperta sonhos nos pesquisadores e já foi alvo de inúmeras pesquisas. Até mesmo viagens sem volta já foram planejadas para o planeta vermelho. A concentração dos pesquisadores é no planejamento de viagens futuras usando grande tecnologia e driblando alguns problemas como o tempo de viagem. Também nesse ano, a Nasa anunciou o desenvolvimento do protótipo de um foguete que alcançava em três vezes a velocidade do som, um grande feito.

Em contrapartida, a viagem a Marte pode ter consequências desastrosas. No início desse ano, pesquisas foram publicadas em várias revistas falando sobre os perigos para o corpo humano: perda de memória, demências, problemas cardíacos. E tudo isso poderia ser a longo prazo ou irreversível.

Fonte: NASA