Uma rachadura em uma janela de um carro é algo bastante incômodo, mas se a rachadura está em uma das janelas da Estação Espacial Internacional (ISS), pode-se se tornar para nós algo aterrorizante.

A imagem acima foi feita pelo Agência Espacial Europeia (ESA) pelo astronauta Tim Peake, e mostra uma rachadura de 7 milímetros em uma das janelas multi-camadas do módulo Cupola. A mancha que vemos, foi criada por um pequeno detrito espacial com alguns mícrons de diâmetro, talvez sendo um floco de tinta ou um fragmento de metal.

Situações como esta não representam uma ameaça para os astronautas, já que a equipe européia que construiu a cúpula com as janelas, que proporciona uma vista fantástica da Terra, possui multi-camadas, protegendo a tripulação de danos.

“Muitas vezes me perguntam se a Estação Espacial Internacional é atingida por detritos espaciais. E a resposta é sim, como podemos ver nesta rachadura em uma das nossas janelas localizadas na cúpula”, disse o astronauta Peake em uma postagem no Twitter.

iss040e006197

Embora não seja ameaçador, este tipo de incidente destaca o risco que os detritos espaciais podem oferecer para a tripulação como para as tecnologias que estão no espaço. Este fragmento foi apenas um dos mais de 170 milhões de fragmentos de detritos de um tamanho inferior a 1 centímetro, o que poderia facilmente desativar um sistema em um satélite.

Há pelo menos 670.000 objetos no espaço entre 1 e 10 centímetros, capazes de penetrar o sistema de blindagem do ISS. Há cerca de 29.000 objetos de 10 centímetros ou mais que poderiam facilmente destruir uma nave espacial.

Pode parecer surpreendente o perigo esses pequenos objetos, mas é preciso lembrar que eles têm uma velocidade de cerca de 8 quilômetros por segundo.