https://www.youtube.com/watch?v=kHyem6hHtYE

A dúvida que todo iniciante em astronomia tem ao decidir iniciar no fantástico mundo da astronomia é “qual telescópio comprar?”. Nesse texto você não vai encontrar uma resposta direta para essa pergunta, mas tenho certeza que vai te auxiliar a fazer uma boa escolha.

Antes de pensar em adquirir um telescópio devemos fazer outras perguntas, “Qual o meu grau de conhecimento em astronomia?”, “Quão habituado estou à observar o céu, reconhecer e localizar constelações?”, caso sua resposta seja “pouco” ou “nada”, você deve rever o seu ponto de partida.

A chance de uma pessoa, sem o mínimo de preparo, comprar um telescópio e utiliza-lo apenas algumas poucas vezes ou acabar se decepcionando é muito grande. Por isso, aconselho que primeiramente tente pelo menos se habituar com o céu noturno. Falando de maneira bem direta, “não adianta você ter o melhor equipamento do mundo e não saber para onde apontar ou o que está vendo”.

Muitos amigos indicam iniciar com um binoculo, eu particularmente não acho que seja necessário passar por um binoculo antes de um telescópio, obviamente que um bom binoculo é um excelente primeiro telescópio, alem disso ele é uma ferramente auxiliar importante nas observações e nunca deixará ter utilidade. Acredito que a melhor forma de iniciar o estudo do céu seja utilizando apenas os nossos olhos, pois possuímos um campo enorme de visão (quase 180 graus) e praticamente toda a observação necessária para o entendimento básico do céu pode ser feita sem a necessidade de equipamentos e o melhor de tudo, é de graça!

O uso de mapas celestes em conjunto com a observação é imprescindível, hoje possuímos uma infinidade de programas que simulam o céu, aconselho fortemente que baixem o programa gratuito Stellarium para pc/mac e para Android o Google SkyMap ou/e o SkyEye.

Sem mais delongas, vamos ao que interessa. A primeira coisa que devemos ter em mente é que esse negócio de “tantas vezes” não existe quando estamos falando de telescópios de verdade. Portanto não leve em consideração quando você lê em anúncios algo parecido com isso ” Telescópio de até 1500 vezes de aproximação”.

O que realmente importa em um telescópio é, em primeiro lugar, a qualidade componentes utilizados para sua construção, após a qualidade vem a abertura ( o diâmetro da lente ou espelho primário). É exatamente essa abertura que vai determinar o aumento máximo que o equipamento pode alcançar sem que a imagem fique sem qualidade. Usamos uma formula bem simples para determinar o aumento máximo aproximado que um telescópio pode atingir:

Aumento Max = 2 x diâmetro da objetiva (mm) 

Exemplo:Temos um telescópio de 150 mm de abertura, logo o aumento máximo aproximado seria de 2 x 150, ou seja, 300 vezes.

Logo vemos que os anúncios de telescópios de 114 mm que aumentam até 1500 vezes é uma tremenda propaganda enganosa. Todo anúncio sério destaca 2 principais características do equipamento, a primeira é a abertura que acabamos de ver e a segunda é a distância focal (distância necessária para que a luz alcance o foco), geralmente expressa em milímetros. A forma mais comum de vermos essas duas informações é o diâmetro da objetiva em milímetros ou polegadas, seguido de um F e um número que representa a distância focal.

Exemplo: Telescópio 150 mm F/8 

Isso significa que o telescópio em questão possui 150 mm e que a distância focal é 8 vezes o diâmetro da objetiva, ou seja, 1200 mm.

Sabendo essas informações, surge outra questão. Como se faz para variar o aumento de um telescópio? Existem um zoom? 

Não existe um zoom, para isso utilizamos uma lente chamada de ocular. Ela é a responsável pela magnificação da imagem captada pela objetiva. Toda ocular vem com uma marcação em milímetros da sua distância focal, e é essa informação em conjunto com a distância focal do telescópio que necessitamos para calcular o aumento. A formula para calcular o aumento é a seguinte:

A = D / d

Onde, A = Aumento, D = Distância focal do telescópio, d = Distância focal da ocular

Exemplo:

Temos um telescópio de 150 mm F/8 e queremos usar uma ocular de 10 mm. Qual seria o aumento? 

D = 150 x 8 = 1200 mm
d = 10 mm

A = D / d
A = 1200 / 10 = 120 vezes

Como vimos anteriormente esse telescópio suporta um aumento aproximado de até 300 vezes ( 2 x 150), portanto, sabemos que podemos utilizar tranquilamente uma ocular 10 mm que nos proporcionará menos da metade do aumento máximo.
Créditos: Observatório Lupus