A edição anual da Olimpíada Ibero-Americana de Biologia teve um verdadeiro show dos representantes do Brasil. Os estudantes Arthur Feitosa, Gerardo Albino, Lucas Magalhães e Michael Sato ganharam medalhas prata e bronze, totalizando quatro medalhas. A olimpíada foi realizada durante os dias 6 a 12 de setembro em El salvador.

Cinco avaliações foram feitas por alunos, englobando os temas de Biologia Celular, Anatomia, Fisiologia Vegetal e Animal, Etologia, Genética e Biossistemática.

No ano que vem, a olimpíada será realizada em Brasília. Estudantes interessados, que estejam no Ensino Médio e tenham no máximo 19 anos, precisam antes realizar as provas da Olímpiada Brasileira de Biologia como forma de eliminatória.

A OIAB é uma competição de biologia para estudantes ibero-americanos, realizada anualmente  nos meses de agosto-setembro. A competição tem duração de uma semana e reúne vencedores de provas da seleção específica de Biologia nos seus respectivos países, acompanhados pelos professores ligados à organização local dessa prova.

Os seus principais objetivos são:

*Promover o estudo das Ciências Biológicas e estimular o desenvolvimento dos jovens talentos  em biologia.

*Contribuir para estreitar os laços da amizade entre os países participantes e criar um ambiente propício para a cooperação, o entendimento e o intercâmbio das experiências.

Como Funciona:

A competição individual consiste de 5 provas: uma teórica e 4 práticas.

A prova teórica conta com duas partes, cada qual com 75 questões. A parte B possui um nível mais elevado que a parte A, sendo que suas perguntas valem o dobro de pontos. Os alunos possuem 120 minutos para resolver cada uma das partes.

Cada prova prática possui duração de 90 minutos.

Além desta há o Rally, que é uma competição em equipe mistas entre os países, que testa habilidades diversas.

Entre as provas os alunos fazem passeios para conhecer o país e participam de atividades diversas, como show de talentos, além de terem tempo livre para fazerem o que preferirem.